terça-feira, 25 de novembro de 2008

Ringu (Hideo Nakata, Japão, 1998)

Reiko Asakawa decide iniciar uma investigação sobre a misteriosa morte de um parente e descobre então que a possível causa é uma fita de vídeo que, ao ser assistida, estabelece um prazo de sete dias para o espectador morrer. Sua busca para descobrir a verdade sobre a tal fita se torna um desespero quando ela mesma, seu marido e seu filho também assistem ao vídeo e coisas estranhas começam a acontecer. É quando ela chega a Sadako, e ao conhecer um pouco da história do espírito que parece habitar o vídeo, tenta de qualquer forma passar pela maldição antes que o seu prazo termine.
Ringu, com uma produção modesta para os padrões dos filmes de grande bilheteria no mundo (cerca de US$1,2 milhões), vindos principalmente de Hollywood, foi um estrondoso sucesso no Japão, se tornando uma produção absolutamente crossmedia, já que consegue abarcar, além do próprio cinema com o filme original e suas continuações, também a TV e os quadrinhos, sem contar o romance no qual foi inspirado. Foi refilmado pela indústria norte-americana e se tornou ainda mais conhecido no ocidente, tornando-se inclusive um filme cult.
Como tem se tornado freqüente neste que acaba se tornando um gênero bastante marcante a cinematografia japonesa na atualidade, já que após Ringu houve outros filmes de relativo sucesso, que mais tarde também seriam adaptados para o cinema hollywoodiano, como as versões originais de Água Negra e O Grito, O Chamado trata de uma maldição sobrenatural, calcada em lendas urbanas muito conhecidas no oriente. Nesse caso, a tecnologia tem um papel fundamental, já que é o que se poderia chamar de “suporte” por onde a desgraça se propaga. Os sustos são marcantes e ininterruptos, ainda que a tendência do filme seja buscar a agonia do espectador sem a violência explícita com a qual estamos acostumados no grande cinema. Os efeitos digitais dão lugar a uma contínua tensão que dá o tom do terror. Os protagonistas não são os grandes salvadores do mundo, nem aqueles que irão destruir a ameaça para salvar a todos. Não há aqui uma tentativa de se vencer o mal. Somente se quer sobreviver a ele.



Título Original: Ringu
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 96 minutos
Ano de Lançamento (Japão): 1998
Estúdio: Omega Project / Kadokawa Shoten Publishing Co.
Distribuição: Toho Company Ltd.
Direção: Hideo Nakata
Roteiro: Hiroshi Takahashi, baseado em livro de Kôji Suzuki
Produção: Takashige Ichise, Shinya Kawai e Takenori Sento
Música: Kenji Kawai
Fotografia: Junichirô Hayashi
Desenho de Produção: Iwao Saito


4 comentários:

Tony disse...

Fala aí Paulo. Blz?

Esse Ringu é o mesmo filme O Chamado americano?

Flw!
Toni

Luciana disse...

Eu naum gostei mto desse filme naum. Achei chato e bem menos assustador que O Chamado americano. Alguém gostou mais desse do que dos outros?

Bjs

Paulo Roberto Montanaro disse...

Olá Tony,

Não. Esse não é o mesmo filme. O Chamado, produzido nos EUA, é uma refilmagem de Ringu, versão original produzido no Japão, com atores e produção toda japonesa.

APF Owner disse...

Me lembro que vi esse filme depois do chamado americano e sinceramente não gostei, talvez se tivesse visto esse original antes do remake teria gostado mais. O americano achei mais dinâmico e assustador, creio que seja uma questão de edição das imagens mesmo e um pouquinho de efeitos quando a moça sai da tv. hehe
Tudo de bom.

Related Posts with Thumbnails