segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Brasilianas - Manhã na Roça - Carro de Bois (1956)


O carro de bois, analisando a trajetória de Humberto Mauro após seus últimos filmes, tanto longas-metragens quanto curtas, parece ser dos seus temas mais bem quistos. Neste capítulo das Brasilianas, este carro é o destaque em uma manhã comum da roça. Seu som dá o ritmo da música que acompanha as tarefas triviais de um dia, seja ele qual for, de um brasileiro que vive da terra. Uma belíssima paisagem, como é comum nesses em todas as Brasilianas, é o cenário para homens ararem a terra, capinarem o mato ou tirarem leite. Os animais, tais como bois, galinhas e porcos, são protagonistas aqui também. A música gentil entra na mesma sintonia que o tempo único do campo, até o surgir do galinho garninzé, que se mostra dono do lugar. Desafia o galo maior e, em uma tensão, sai vitorioso. A ordem está re-estabelecida e a manhã segue seu caminho.
O carro de bois é montado pelos homens. Aqui, uma narração didática explica um pouco mais deste dispositivo tão comum e tão útil para o homem do campo. É onde se carregou muito do que construiu o Brasil. É como se estivéssemos em dívida com ele. O instrumento, aqui, toma lugar central em Manhã na Roça. É como se, sem ele, o filme nem existiria. O título se justifica. Não haveria manhãs como essa sem o carro de bois.

Ficha Técnica Título: Brasilianas: Manhã na Roça - Carro de Bois
Duração: 8 min
Ano: 1956
Gênero: Documentário
Cor: PB
Direção: Humberto Mauro
Fotografia e Montagem:
José de Almeida Mauro
Arranjo: Maestro Aldo Taranto

2 comentários:

Carolina disse...

É muito difícil de achar esses filmes, não é? Nem tem no YouTube! Que outro jeito eu posso ver?

Paulo Roberto Montanaro disse...

Oi, Carol.

São mesmo muito raros de encontrar todos. Uma possibilidade é a Cinemateca Brasileira. A outra é encontrar em cineclubes o DVD da Programadora Brasil.

Há braços

Related Posts with Thumbnails