segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Brasilianas - Azulão e O Pinhal (1948)


Em Azulão pode-se encontrar uma continuidade dos filmes anteriores e uma redenção ao pássaro preso. No início do filme, um homem, agora em plano médio, tira o pássaro de uma gaiola e o solta pela janela. A interferência do homem é corrigida e o Azulão ganha a liberdade, podendo assim seguir fazendo parte daquele ambiente. A música que o acompanha fala de um amor passado. O pássaro pode então buscar o que foi deixado e recuperar o que parecia perdido no tempo. Os planos que se seguem são novamente de contemplação, abertos e belos, mostrando a grandeza de um campo quase que intocado. O Azulão tem todo um mundo para voar.

Já em O Pinhal, novamente a calma e o ambiente dão o tom do filme. A casa ou o casal distantes parecem pequenos demais diante a grandeza do imponente pinhal, presente por todos os lados. São vários e ao mesmo tempo somente um. Ele é onipresente. E mesmo que o lenhador o ataque com o seu machado, o pinhal não cede. E não cai. É a vitória da natureza sobre o homem. O Pinhal estará sempre lá.

Ficha Técnica
Título: Brasilianas: Canções Populares - "Azulão" e "O Pinhal"
Duração: 8 min
Ano: 1948
Gênero: Documentário
Cor: PB
Direção, Fotografia e Montagem: Humberto Mauro
Arranjo: Maestro Aldo Taranto

Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails